Caminho da Bahia




Capital colonial até meados do século XVIII, em Salvador 89 patrimônios históricos e arquitetônicos são tombados pelo Iphan, com destaque para:

- Centro Histórico de Salvador, Unesco/1985.

- Casa Grande e Capela da Fazenda São Roque, Iphan/1943.
- Forte de Santa Cruz do Paraguassú, Iphan/1938.
- Igreja Matriz de São Bartolomeu, Iphan/1941.
- Prédio do Paço Municipal, Iphan/1941.
- Conjunto Arquitetônico e Paisagístico da cidade, Iphan/1971
- Monumento Nacional, Iphan/1971.
- Capela do Engenho Velho e ruínas do sobrado, Iphan/1943.
- Capela e Jardim do Hospital de São João de Deus, Iphan/1943.
- Capela de Nossa Senhora da Ajuda, Iphan/1939.
- Casas (7), Iphan/1938-1939-1941-1943.
- Convento do Carmo, Iphan/1939.
- Paço Municipal, Iphan/1939.
- Igreja da Ordem Terceira do Carmo, Iphan/1938.
- Igreja do Carmo, Iphan/1938.
- Igreja e Ruínas do Convento de Santo Antônio de Paraguaçu, Iphan/1941.
- Igreja do Seminário de Belém, Iphan/1938.
- Igreja Matriz de Santiago, Iphan/1960.
- Prédio, atual Museu Regional, Iphan/1941.
- Prédios (5), Iphan/1941-1943.
- Casa Natal de Ana Nery, Iphan/1941.
- Casa Natal de Teixeira de Freitas, Iphan/1941.
- Prédio do Engenho Vitória, Iphan/1943.
- Sobrado do Engenho Embiara, Iphan/1943.
- Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário, Iphan/1939.
- Capela de São José do Genipapo, Iphan/1971.
- Parque Nacional da Chapada Diamantina,Iphan/1985.
- Cemitério de Mucugê, Iphan/1980.
- Conjunto Arquitetônico da cidade, Iphan/1980.
- Casa à rua Barão de Macaúbas, Iphan/1958.
- Casa de Câmara e Cadeia, Iphan/1959.
- Casa Natal do Barão de Macaúbas, Iphan/1958.
- Igreja Matriz do Santíssimo Sacramento, Iphan/1958.
- Ruínas da Igreja de Santana, Iphan/1958.
- Lapa da Cerca Grande, Iphan/1962.
- Casa de Saúde Carlos Chagas, Iphan/1985.
- Estação Ferroviária, Iphan/1985.
- Área de Proteção Ambiental do Carste de Lagoa Santa, Ibama/1990.
- Túmulos de Pedro Guilherme Lund e seus colaboradores, Ibama/1960.
- Casa de Saúde Carlos Chagas, Iphan/1985.
- Estação Ferroviária, Iphan/1985.
- Conjunto Arquitetônico e Urbanístico Rua Dom Pedro II – Iphan/1965.
- Capela de Santo Antônio-Pompeu – Iphan/1958.
- Casa da Rua Borba Gato – Iphan/1938.
- Casa à Rua Pedro II/Paço Municipal – Iphan/1950.
- Casa Azul, à Rua Pedro II – Iphan/1965.
- Casa da Real Intendência do Ouro/M. Ouro – Iphan/1950.
- Chafariz do Caquede – Iphan/1950.
- Igreja de Nossa Senhora das Mercês – Iphan/1938.
- Igreja de Nossa Senhora do Carmo – Iphan/1938.
- Igreja de Nossa Senhora do Ó – Iphan/1938.
- Hospício da Terra Santa e C. de N. S. do Pilar – Iphan/1950.
- Igreja de Nossa Senhora do Rosário – Iphan/1938.
- Igreja de Sant’Ana-Arraial Velho – Iphan/1950.
- Igreja de São Francisco de Assis – Iphan/1938.
- Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição – Iphan/1938.
- Passo da Rua Marques de Sapucaí – Iphan/1950.
- Passo de Nossa Senhora do Carmo – Iphan/1950.
- Teatro Municipal – Iphan/1963.
- Chafariz do Rosário – Iphan/1950.
Na antiga Vila Rica, centros de convergência da colônia no século XVIII, 47 acervos são tombados pelo Iphan. É também o primeiro bem brasileiro reconhecido mundialmente:

- Cidade Histórica de Ouro Preto, Unesco/1983.